O LIVRO

“Saberes e Sabores de Araxá” narra períodos da história de Araxá e da sua gastronomia. De autoria de Armando de Angelis, sob a revisão histórica de Glaura Teixeira Nogueira Lima e Robert Mori, o livro contempla o leitor com releituras do chef Eduardo Avelar de algumas receitas culinárias de épocas, reprodução de receitas tradicionais que fazem parte da vida cotidiana de Araxá, dicas para entender alguns termos utilizados na arte de cozinhar, como fazer (ou cozinhar) melhor e como usar ervas, especiarias e condimentos nos seus pratos.

Das Minas às Gerais.

De geração em geração, velhos e surrados cadernos passam de mão em mão, mantendo vivas e gostosas as mais fortes raízes da gastronomia mineira. Sem dúvida alguma, a velha e boa comida mineira tem em Araxá a sua melhor porção. Ao contrário do que muitos imaginam, não é só nas Minas que a gente se farta com os maravilhosos sabores da comida mineira. Muito além das Minas, existem as Gerais de tantos sabores inigualáveis, de tantos temperos deliciosos, de tanta fartura no prato e daquele gostinho de “quero mais”. Mineiramente, fazendo bem feito, respeitando suas tradições e, às vezes, ousando na criatividade, Araxá desenvolveu e perpetuou sua fama na excelência de seus pratos e na sua incontestável boa mesa. Por essas e outras, acabou sendo reconhecida como uma espécie de capital dos saberes e sabores da Comida Mineira do Grande Sertão das Gerais.

A história da gastronomia de Araxá das Gerais é tão antiga e importante quanto à do Ciclo do Ouro nas Minas. Para muitos, a simplicidade e o sabor característicos da comida mineira são resultados do encontro das diferentes etnias e culturas que souberam adaptar seus costumes alimentares com os recursos disponíveis para se comer bem. Tanto nas montanhas de tantas minas, quanto nos campos de altitude e no cerrado do sertão, foram desenvolvidos e adaptados ao gosto regional os pratos típicos, que fizeram a fama da comida mineira. Variados tipos de linguiça, o tutu, o feijão tropeiro e o torresmo, o frango com quiabo, a costelinha com ora-pro-nobis, o angu e a couve, o queijo, a pamonha, os doces, os bolos, as broas, os pães de queijo e tantos outros pratos tradicionais provenientes do fundo de quintal e das inúmeras e extensas fazendas.

Dos índios que habitavam o antigo Sertão da Farinha Podre (atual Triângulo Mineiro e parte do Alto Paranaíba), dos negros, dos bandeirantes, dos tropeiros e mascates, dos fazendeiros, dos imigrantes, dos primeiros turistas, dos cozinheiros do Grande Hotel, das cozinheiras caseiras, dos cozinheiros de fins de semana e, por fim, das atividades promovidas pelo Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Araxá, de cada um, Araxá soube aproveitar muito bem os seus saberes e sabores, para construir uma gastronomia de “terroir” ímpar.

O AUTOR

Mesmo à distância, mas nunca ausente, sou um amante de minha terra natal - Araxá, e um admirador dos meus conterrâneos, da sua cultura e da sua gastronomia. Ainda quando por lá estava, recebi boas influências nas minhas aptidões artísticas e culturais, que mais tarde tanto contribuíram com a minha vida profissional como publicitário.

Antes de me formar em administração de empresas e me tornar publicitário, fiz músicas e participei de festivais, desenhei e elaborei charges, escrevi artigos e crônicas, fui um dos fundadores da Feira de Arte e Artesanato da Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, onde expunha e vendia meus quadros, criei e produzi eventos culturais e gastronômicos, dentre eles, o Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Araxá, além de publicar o meu primeiro livro – “Sopas, Caldos e Cremes”. Profissionalmente, dirigi agências de propaganda por 35 anos, atuando especialmente nas áreas de atendimento, planejamento e criação. Atualmente, após abandonar o barco da propaganda há quase uma década, moro em Casa Branca, um pequeno distrito de Brumadinho, porém muito próximo de Belo Horizonte, onde, mesmo à distância, presto serviços de consultoria em marketing e comunicação, elaboração de projetos e planejamento de eventos, especialmente os de cultura e gastronomia. Nesse meu cantinho, coloco minhas ideias no papel (ou melhor, no computador) e aprimoro meus parcos dotes culinários, sem deixar de curtir minha família, principalmente meus netos, e a natureza esplêndida que me cerca.

RECEITAS

Receitas selecionadas de pratos tradicionais da culinária de Araxá:

FICHA TÉCNICA

Autor e Coordenador Editorial
ARMANDO DE ANGELIS

Releitura de Receitas
chef EDUARDO AVELAR

Revisão Histórica
GLAURA TEIXEIRA NOGUEIRA LIMA
ROBERT MORI

Coordenação de Marketing e Comunicação
ERICO REZENDE DE ANGELIS -
Exhibition Club Eventos e Comunicação

Projeto Gráfico do livro e do site
IVANA GUIMARÃES - Neo Comunicação

Desenvolvimento do site
Agência Clic

Revisão Gramatical
HELOISA HELENA REZENDE DE ANGELIS
IARA MARTINS DOS SANTOS

Fotografias
ARMANDO DE ANGELIS (acervo familiar)
BIANCA AUN (acervo FICGA)
CARLA MESQUITA (acervo pessoal)
DRIKA VIANA (acervo FICGA)
FELIPE TEMPONI (acervo FICGA)
FERNANDO TAVARES PIANCASTELLI (acervos FICGA e pessoal)
FUNDAÇÃO CULTURAL CALMON BARRETO (acervo histórico)
JULIANO GUERRA (acervo pessoal)
LUCAS NISHIMOTO (acervo FICGA)

Produção Executiva e Gestão para
Lei de Incentivo a Cultura
AMAURI ROCHA

Impressão
MAXI GRÁFICA E EDITORA

Reservado todos os direitos dessa obra. Proibida toda e qualquer reprodução dessa edição por qualquer meio ou forma, seja eletrônica ou mecânica, fotocópia, gravação ou qualquer outro meio de reprodução sem permissão expressa do autor.

ISBN: 978-85-921241-0-6

CONTATO